O que é E-commerce?

#produto#ecommerce#produtos#muitas#digital#consumidor#virtual#cliente#e-commerce#lojista


Eletronic commerce (E-commerce) é o equivalente a comércio eletrônico em português, e como seu nome sugere: São todos aqueles negócios que estruturam suas transações comercias por meios digitais.

Ou seja, realiza toda a jornada de compra e venda a partir de plataformas digitais. E a única parte realizada fisicamente é a logística da mercadoria.

A não ser que a mercadoria seja um produto digital.

Qual a diferença de um ecommerce para uma Loja virtual?

Muitas pessoas confundem e-commerce com loja virtual. Mas na verdade uma Loja virtual é apenas um dos canais de venda do ecommerce.

Enquanto uma loja virtual se restringe ao site, compra/venda, o ecommerce consiste em um estratégia de negócio que envolve não só o site como também a aquisição dos clientes e a experiência do mesmo, entre muitas outras coisas.

Boa leitura!

1-Como funciona?

 1.1-A exposição do produto

 1.2-O pagamento

 1.3-Logistica

2-Desvantagens e vantagens

3-Tipos de E-commerce

4-Produtos Digitais

5-Principais canais

 5.1-Loja virtual

 5.2-Marketplaces

 5.3-Redes sociais


Como funciona?

Todo o funcionamento ecommerce gira em torno de algumas etapas:

A exposição do produto

Nessa etapa é onde o lojista vai disponibilizar seu produto para seu consumidor no canal escolhido.

É aqui que serão mostradas fotos, descrições e especificações técnicas sobre o produto de forma que não deixe dúvidas ao consumidor.

Nessa etapa que o consumidor chegará até o produto ofertado e escolherá quais comprará.

O pagamento

Após o cliente conhecer seu(s) produto(s) e adicionar o carrinho, ele irá realizar o cadastro na plataforma de pagamento, coloca seus dados como e-mail, CPF e endereço para ser calculado o frete.

Depois do cadastro ele escolhe a forma de pagamento. É importante que a plataforma ofereça mais de uma opção de pagamento, como por exemplo: cartão de credito, boleto bancário ou transferência bancária.

Logística

Depois do pagamento se aprovado é hora do lojista enviar a mercadoria.

Por essa ser a única parte do processo que ocorre de maneira física é de suma importância que ela seja bem feita, rápida e segura. Fornecer o rastreio da mercadoria para o cliente é uma ótima forma de demonstrar transparência.

Ter bons fornecedores e uma boa forma de envio é essencial para que tudo chegue em boa forma ao cliente.

Antes e depois dessas etapas há outras como o marketing de conteúdo para que o cliente chegue até o produto, o atendimento do cliente, assistência e o pós vendas.

Desvantagens e vantagens

Mesmo em constante crescimento, muitas pessoas ainda se sentem desconfiadas em fazer compras online, e essa é uma das principais desvantagens em um ecommerce.

Por isso é importante que o lojista seja o mais transparente possível e que forneça a melhor segurança pra o cliente. Como o selo de segurança SSL que comprova que o site é seguro para fazer pagamentos.

E outra das principais desvantagens, já citado, é a logística que apesar de estar em constante evolução, a entrega de uma mercadoria muitas vezes ainda demora.

E isso desanima as pessoas, que preferem ir à loja física e sair de lá com o produto em mãos.

Em contra partida o mercado digital tem muitas vantagens!

Como por exemplo o constate crescimento desse mercado

De acordo com uma pesquisa realizada pela Neotrust. Nos primeiros três meses do ano de 2021 foram realizadas 78,5 milhões de compras online, um aumento de 57,4% em comparação ao mesmo período do ano passado que resultou em um faturamento de R$ 35,2 bilhões (72,2% a mais do que em 2020).

Há também o consumidor que cada vez mais prefere comprar do conforto de sua casa, com preços na maioria das vezes menores que em uma loja física

De acordo com uma pesquisa com 1.649 usuários de Internet no EUA pela CivicScience em março de 2018, 43% dos entrevistados citaram a conveniência como o principal motivo para fazer uma compra digital. Seguidos por 19% que citaram preço como principal motivo.

Mas uma das principais vantagens de embarcar no mercado digital é o baixo custo necessário para o ingresso.

Sem a necessidade de custear aluguel do ponto físico ou contas como água e energia. O preço de manter um negócio online é bem menor do que o de um negócio físico, que muitas vezes ainda precisa de ajustes e reformas.

Ao escolher o canal de ecommerce que vai utilizar, o lojista só terá gastos com a criação e manutenção de um bom site com uma loja virtual, ou somente com o produto e logística em uma marketplace.

Tipos de E-commerce

Há três tipos principais tipos de ecommerce, são eles:

B2B (Bussines to Bussines) - É o ecommerce realizado de uma empresa para outra, geralmente comercializando matérias primas ou prestação de serviços.

B2C (Bussines to Client) - É negociação entre o uma empresa e o consumidor final, com uma infinidade de produtos as ser vendidos, como roupas, móveis, materiais diversos...

C2C (Consumer to Consumer) - É o modelo em que um consumidor vende para outro consumidor, nesse modelo está intermediários como Mercado Livre, OLX e E-bay.

Produtos digitais

Até agora foi falado somente de produtos físicos, mas o que melhor representa o mercado digital do que produtos digitais?

Produtos digitais são aqueles consistem em informação e não necessitam de nenhuma etapa no mundo físico, assim dispensando a logística, como: cursos, softwares, e-books entre muitos outros.

Assim sendo uma opção ainda mais barata e mais simples para iniciar no mundo digital.

Principais canais

1- Loja virtual

A mais conhecida de todas. Consiste em um site criado para o negócio pelo lojista ou por terceiros em que serão expostos e comercializados todos os produtos do lojista.

Aqui toda a gestão do negócio e do site será feita pelo comerciante, como a escolha do designer do site, até a logística.

Para a criação desse site o vendedor pode contratar alguém para fazer ou escolher plataformas de ecommerce que já disponibilizam tudo para que o vendedor tenha o mínimo de trabalho e que ele comece a vender o mais rápido possível.

Como por exemplo A LandLoja que já disponibiliza toda a plataforma de ecommerce para o comerciante se cadastrar e sair vendendo.

2- Marketplaces

Também muito conhecido os marketplaces são plataformas que servem com grandes shoppings onde diversos vendedores cadastram seus produtos para venderem, como por exemplo Mercado Livre, Magazine Luiza e Amazon.

Nestes todas as políticas de venda e compra, assim como quais produtos aparecem primeiro são decididos pela própria plataforma.

Apesar da concorrência ser grande muitas estratégias se encaixam nesses modelos.

3- Redes Socias

Apesar de não serem feitas para essa finalidade a venda por redes socias crescem cada vez mais entre os usuários.

Como essas plataformas estão sempre segmentando conteúdos de acordo com cada perfil é mais fácil encontrar clientes que se interessam por aquele produto, assim gerando uma boa visibilidade para o produto.

Porém como muitas dessas redes não possuem plataformas de pagamentos incluídas o vendedor precisará fazer isso manualmente.

Todas possuem suas vantagens e desvantagens, o importante é analisar cada estratégia e ver qual se adequa mais a sua.

O Ecommerce é um grande mercado que cresce cada vez mais e é presente em nossas vidas e atrai consumidores para o mundo digital. Utilizar deste crescimento é uma ótima estratégia para crescer o seu negócio ou iniciá-lo.


Quer abrir seu próprio E-commerce mas está com medo de dar errado? Confira nossas 7 dicas de como abrir seu E-commerce com segurança!



Gostou? Comente este artigo!

WhatsApp/Telefone:

+55 34 98403-1561

Processando
Sua mensagem foi enviada. Obrigado!
Prêmios e Reconhecimento